Por Lorenzo Tessari

Como diria o poeta brasileiro do século XX, Carlos Drummond de Andrade, no poema E agora, José? A poesia expressa a falta de esperança e poderia também definir o sentimento de muitos estudantes ao se depararem com todas as disciplinas que precisam ser estudadas e revisadas. E quando, nesse processo, se perde o controle e desencadeia um acúmulo de matérias, colocar os estudos em dia pode se tornar uma tarefa difícil de ser realizada.

No modelo de ensino brasileiro, as disciplinas são distribuídas e interconectadas, similar a uma árvore, no qual temos matérias que são fundamentais para o entendimento de outras, criando uma espécie de pré-requisito. Por outro lado, algumas instituições de ensino desconsideram esse modelo e priorizam um cronograma e a necessidade de cumpri-lo, ainda que não se tenha tempo hábil para que os alunos absorvam todo o conteúdo.

Ao nos deparamos com matérias atrasadas, precisamos verificar se esse conteúdo  está sendo relacionado a algum pré-requisito importante, pois caso seja deixado de lado criará uma lacuna no conhecimento, o que prejudicará o aprendizado. A falta do entendimento do tema que precede gera lacunas cognitivas e, posteriormente, formam uma lógica frágil.

Caso a sua realidade seja lidar com matérias atrasadas, adotar uma estratégia de estudo pode ajudar a minimizar a frustração e ainda gerar uma rotina de aprendizado mais eficiente. Priorizar os temas antigos de maior relevância que impactem os atuais, estabelecer uma rotina de estudo equilibrada que envolve os temas em atraso e em dia, estabelecer metas de estudo a serem cumpridas ao longo da semana, e utilizar recursos e ferramentas que aceleram o aprendizado com  vídeo-aulas, audiobooks e podcasts, são algumas das estratégias que podem ser adotadas para resolver esse problema.

É importante contar com o apoio de um profissional, como professores, tutores ou até mesmo mentores de estudo, cuja habilidade permitirá definir a melhor estratégia de estudo para recuperar os conteúdos em atraso, por meio de um plano de estudos, que ajude a evitar um novo acúmulo e, ainda, mantenha os temas atuais em dia sem prejudicar as demais matérias.

Acumular os estudos impede o avanço dos alunos e, ainda, pode levá-los a um quadro de frustração, angústia e ansiedade. Observamos que a falta de entendimento da matéria anterior deixa o estudante perdido em relação a matéria atual, desencadeando novas lacunas de conhecimento dali para frente.

A dificuldade em acompanhar o ritmo da turma, podem despertar sentimentos de inadequação e baixa autoestima levando à perda de motivação para continuar estudando. Em um mundo tão imediatista, as pessoas querem resolver as pendências cada vez mais rapidamente, porém, essa não é uma tarefa fácil e deve ser encarada com uma atividade a longo prazo, logo, o mais importante está na mudança de mentalidade que o estudante deve ter.

*Lorenzo Tessari é Chief Operating Officer (COO) da Gama Ensino, startup de tecnologia desenvolvedora de um algoritmo proprietário que identifica os gaps de aprendizado dos alunos para o direcionamento dos seus estudos.