Especialista alerta que coisas simples que muita gente faz, até sem perceber, podem danificar os dentes e comprometer a saúde oral

Você tem o costume de colocar a caneta na boca para pensar durante uma reunião? Acaba mastigando o lápis enquanto tenta achar a resposta para aquela questão da prova? Ou rói as unhas quando está nervoso? Todos esses são exemplos de hábitos frequentes que podem estar presentes em nosso dia a dia, muitas vezes sem que a gente se dê conta, mas que oferecem riscos à saúde oral.

“Em geral, todo mundo fica de olho nas recomendações de praxe, como escovar os dentes após as refeições e usar o fio dental diariamente, mas tudo o que, de uma forma ou outra, impacta os dentes ou interfere na nossa cavidade oral tem potencial para causar problemas”, explica o cirurgião-dentista, sócio e diretor clínico da Signature Clínica Boutique, Dr. Andreas Koren. “Como muitos desses hábitos são corriqueiros, é importante ficar atento no dia a dia para não acabar tendo que lidar com fraturas ou infecções, por exemplo, quando menos se espera”.

O especialista alerta para cinco hábitos comuns que você precisa abandonar hoje mesmo:

Roer unhas, chupar dedo, palitar os dentes, morder canetas ou lápis. “Tudo isso é muito ruim, pois trinca o esmalte do dente, desgasta e pode quebrar não só os dentes, mas também as restaurações em resina”, diz o Dr. Andreas Koren.

Esquecer de trocar a escova de dentes periodicamente. “Muita gente tem dúvida de qual é o tempo certo para essa substituição, mas se você perceber que as cerdas estão entortando, essa é a hora, pois além de deixar de cumprir a função de limpeza, pode começar a machucar a gengiva”, diz.

Abusar de enxaguantes bucais medicamentosos. “Temos vários tipos de produtos, não há problema em usar aqueles feitos apenas para dar aquele gostinho e a sensação de hálito fresco nos bochechos diários, mas enxaguantes com propriedades específicas, como os usados para controlar fungos e bactérias na boca ou proteger contra a sensibilidade dental, somente o dentista pode indicar, pois podem ter efeitos adversos”, recomenda o especialista.

Apertar os dentes durante a prática de atividades físicas e esportivas. “Esse é um hábito muito perigoso e o que mais quebra dentes e restaurações. Então, se você perceber que está com esse costume, procure o seu dentista para desenvolver um protetor ou um aparelho que proteja os dentes adequadamente também durante a malhação”.

Jantar muito tarde e uso excessivo de calmantes/ansiolíticos para dormir. Ambos os hábitos desencadeiam um efeito muito perigoso aos dentes e gengivas. A digestão de alimentos complexos, como proteínas (carnes, ovos, etc.) e bebidas alcoólicas, por exemplo, causam um aumento excessivo de suco gástrico, que durante o sono pode causar pequenos refluxos, agredindo os dentes e a gengiva. Já a utilização de calmantes em excesso ou em altas doses diminui muito a salivação, ressecando os dentes e a gengiva, e causando bruxismo noturno (ranger os dentes). “Cremes dentais e bochechos que protegem os dentes contra a agressão ácida, e a saliva artificial disponível em farmácias podem ser recursos importantes para combater esse ressecamento. Eles ajudam nos casos em que algum desequilíbrio no organismo ou no estômago, causado pelo estresse, por exemplo, leve a acidez do suco gástrico até a cavidade oral, protegendo contra essa agressão ácida”, aponta o especialista.

“Todos esses cuidados garantem uma boca bonita e saudável, com um sorriso que vai durar e brilhar por muito tempo”, finaliza o Dr. Andreas Koren.