Por Lucianny Caixeta Araújo dos Santos de Sousa

Nascido em 18 de abril de 1882, José Bento Renato Monteiro Lobato, escritor renomado e reconhecido mundialmente, o autor fez toda diferença na literatura infantil brasileira. Formado em Direito, foi promotor e exerceu várias outras profissões durante sua vida. Faleceu em São Paulo no dia 04 de julho de 1948, deixando uma bela história para os leitores brasileiros.

Monteiro Lobato publicou sua primeira obra em 1914 com o título de “Urupês”. O autor lançou vários livros durante sua carreira destinado aos jovens e adultos, porém foi com a literatura infantil que ganhou maior reconhecimento.

No ano de 1921, Monteiro Lobato publicou “A Menina do Narizinho Arrebitado”, que foi sua primeira obra infanto-juvenil, iniciando sua entrada no mundo das fantasias. A obra do autor que mais se destacou foi “O Sitio do Picapau Amarelo”, dando sequência a uma série composta por 23 volumes, trazendo personagens que fogem do padrão, que se tornaram conhecidos e admirados pelo público, como o visconde de Sabugosa, um intelectual contador de histórias. Monteiro Lobato explorou vários temas relevantes, abrindo espaço para os livros paradidáticos no Brasil, e suas obras são marcadas por aventuras e imaginação.

Como falar de Monteiro Lobato sem ressaltar sua importância dentro das bibliotecas escolares, sendo ele o primeiro autor nacional a se preocupar com as literaturas infantis? As obras do autor despertam a curiosidade nos leitores, trazendo cada vez mais alunos para dentro da biblioteca, criando uma rotina de leitura.

O hábito de ler traz diversas vantagens para o estudante, desenvolvendo sua capacidade de interpretação, imaginação e escrita. Considerando que nem toda criança tem contato com livros fora da escola, cabe aos pais, professores e bibliotecários proporcionar esse contato, assim despertando a imaginação desses alunos.

Em homenagem a Monteiro Lobato, o Dia Nacional do Livro Infantil é comemorado no dia 18 de abril, data do seu nascimento. Durante essa semana, as bibliotecas escolares trazem momentos recreativos que destacam a importância do autor, fazendo contação de histórias usando seus personagens. É importante que o lúdico seja trabalhado com atividades de leitura na biblioteca escolar para que as crianças se sintam à vontade com as práticas leitoras. O autor também é citado na semana do livro e em outras datas que remetem a leitura.

*Lucianny Caixeta Araújo dos Santos de Sousa é Bibliotecária no Colégio Presbiteriano Mackenzie – Palmas.